Saúde de Crianças e Adolescentes na Era Digital

Saúde de Crianças e Adolescentes na Era Digital

No início desse mês de novembro, a SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria) divulgou um manual de orientação à pediatras, educadores e escolas, pais, crianças e adolescentes, sobre o uso da tecnologia, além de apresentar seus benefícios e malefícios. Com a era digital, o acesso à celulares, televisão e internet ocorrem em idades cada vez mais precoces. Mas conforme este Manual de Orientação, alguns limites e informações são fundamentais para que a utilização dessas tecnologias não cause prejuízo e danos à saúde, ou até mesmo dificuldades de socialização, aumento de ansiedade, violência, cyberbullying, dificuldades escolares, transtornos de sono e alimentação, sedentarismo e etc.

Eu preciso confessar que aqui em casa, por várias vezes utilizamos o celular ou a televisão, para entreter meu filho, enquanto precisamos realizar alguma atividade… E ao ler o manual, percebi que ele começou o contato com celular e TV muito cedo (aproximadamente 1 ano), sendo que o recomendado pela cartilha seria a partir de 2 anos. Atualmente, com 2 anos, ele continua assistindo muito a TV e se somarmos o tempo de todos os desenhos, filmes, músicas e etc. serão aproximadamente 3 horas por dia, sendo que a orientação do Manual sugere no máximo 2 horas/dia. E sabe aquela recomendação que escutamos sobre não deixar o filho assistir TV ou ver vídeos para se alimentar ou para dormir? Infelizmente aqui esta cena acontece com frequência.

Mas, e antigamente, como as mamães faziam então? Não sei se irão concordar, mas me lembro de em muitas casas terem o “cercadinho”, onde os bebês e crianças costumavam ficar brincando sozinhos, enquanto as mamães trabalhavam em casa… Então vejo que aqui em casa estou tentando usar a tecnologia como um “cercadinho digital”.

O manual adverte ainda que os adultos, se tornam um modelo de referência para seus filhos. Portanto precisamos dar o primeiro exemplo, como o limite de tempo de trabalho no computador, quando em casa, ou seja, desconectar e estar presencialmente com nossos filhos. Este seria outro ponto que necessitamos nos policiar, pois costumamos utilizar bastante o celular e computador, nos acessos ao facebook, instagram, e-mail e whats app (atualmente o aplicativo mais utilizado por mim).

Antes mesmo de ter visto as orientações, já tinha a pretensão de começar a diminuir ou pelo menos otimizar o uso do celular, pois de que adiantava eu colocar meu filho no quarto brincando, ficar ao lado dele, mas não sair do celular… Ele estava sozinho do mesmo jeito! E nesta fase dos 2 anos eles querem interagir, aprender e observam tudo!

Enfim… Compreendi que necessitamos mudar alguns hábitos, porém não será nada fácil adaptarmos uma nova rotina. Com certeza há benefícios e malefícios que acompanham a tecnologia digital. Fundamental é o bom senso e informação adequada.

Fico pensando nas mães e pais que tem crianças maiores ou até adolescentes e precisam ter cuidado redobrado, pois conforme o manual, são os mais atraídos pela informática (época da descoberta do vídeo game)… E nem imagino o quão difícil deve ser criar mecanismos para controlar o uso da tecnologia nesta faixa etária, ou de definir regras, ensinar o que se deve ou não ver na internet, pois é tudo muito “a mão”. Mas acredito que a confiança recíproca seja a melhor solução, pois se o seu filho te enxergar como um adulto confiável, acessível e compreensivo, ele irá sempre te contar o que está acontecendo e você poderá orienta-lo da melhor forma. Só imagino, pois ainda não chegamos nesta fase (risos, falar sempre é mais fácil que fazer, não é?).

E vocês o que acham das orientações? Acessem a cartilha no link http://www.sbp.com.br/src/uploads/2016/11/19166d-MOrient-Saude-Crian-e-Adolesc.pdf

Vamos trocar informações? Conte-nos sua experiência!

novembro 29, 2016/ por / em, , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vem com a gente
Facebook Vem com a gente Vem com a gente