Aleitamento Materno… O desmame também faz parte! Por Laura

Aleitamento Materno… O desmame também faz parte! Por Laura

Sou Laura, mãe dos gêmeos Caio e Helena, professora, botânica, tentando conciliar a vida pessoal e profissional. Sou super a favor da amamentação, acho este processo muito lindo, mas é preciso muita determinação para amamentar, não é um processo fácil, ainda mais com gêmeos. Num outro momento irei compartilhar a minha estória de doação de leite, mas hoje venho falar de algo mais recente que foi o processo de desmame gradual gentil feito com Caio e a Helena. No início queria muito que o desmame fosse natural.  Mas optei por desmama-los após 3 meses de adaptação da escolinha. No primeiro mês eles ficaram doentes e usaram medicações leves, mas eu adoecia de forma mais intensa e tomava antibiótico, resultado em 1 mês e meio foram 3 antibióticos diferentes, o cansaço a cada dia mais intenso e em alguns momentos não tinha prazer em amamentá-los.

Foi nesta fase conturbada que comecei a pensar no desmame. Mas eu tinha medo de fraquejar, de não conseguir. Aquela culpa batendo, me senti insegura e pensava: será que eles vão continuar carinhosos e grudinhos comigo depois que acabar o mama? E durante este momento de dúvidas  tive o apoio de mães maravilhosas que vivem a maternidade de forma real e me senti encorajada a começar o processo. Um muito obrigada “mamães divas”, “mamães cenouritas” e Paula Serafim. Vocês não tem noção de como cada palavra foi importante pra iniciar o desmame.

E o primeiro passo eu já tinha que era a decisão de desmamar. Comecei a tirar a livre demanda dos finais de semana e reduzir gradativamente as mamadas que eram 4 vezes ao dia. Outro passo importante foi desassociar as mamadas na rede, local onde sempre mamaram desde RN (recém-nascidos). Passei a dar mama em qualquer lugar que não fosse a rede. E conversava todo dia ao longo das mamadas que o mama ia acabar porque ele tinha trabalhado muito (2 anos e 3 meses) e precisava descansar e logo logo ia viajar.  Isto iria acontecer porque eles já estavam grandes, espertos e muito inteligentes. Eram crianças e não eram mais nenéns. Todo o processo de desmame gentil durou 1 mês e meio. Tinha muito receio do Caio não aceitar pois nos últimos dias de amamentação sugava tudo como se fosse o último momento, esperto foi ele. A Helena chegou a dormir dois dias sem mamar à noite. Pensei, com ela vai ser tranquilo. Doce ilusão!!!

No último dia de amamentação eu expliquei que o mama estava dando tchau e não estaria mais conosco. Eles mamaram e dormiram. Quando foi na noite seguinte eu falei que ele foi embora e o Caio me deu um sorriso virou pro lado e dormiu enquanto a Helena chorou. Eu associo parte do choro ao cansaço. Expliquei que o personagem da Marsha (eles amam o desenho da Marsha e o Urso) não mamava e comia comida porque era criança que nem ela. Abracei e acalmei e ela logo dormiu. Ocorreu tudo bem melhor do que eu imaginava. Eles desmamaram em março de 2017, desde então não pedem pra mamar, mas a Heleninha vira e mexe deita no meu colo e fica pegando no mama, faz carinho e eu curto o chamego com ela.

E sabe aquele medo deles ficarem distantes de mim? Os dois só dormem à noite abraçadinhos comigo, além de continuarem carinhosos e amorosos. Estou super feliz com este ciclo que se encerrou e mais ainda com esta nova etapa, desta maternagem que esta apenas no seu princípio.

Gostou do texto da Laura? Que tal comentar aqui como foi seu processo de desmame?

agosto 2, 2017/ por / em,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vem com a gente
Facebook Vem com a gente Vem com a gente