Apresentação do BCU (Banco de Cordão Umbilical Brasil)

Apresentação do BCU (Banco de Cordão Umbilical Brasil)

Abaixo temos uma apresentação do BCU (Banco de Cordão Umbilical Brasil):

BCU | Banco de Cordão Umbilical Brasil

  • O BCU é o maior banco de cordão umbilical da América, com laboratórios nos EUA, México, Brasil e Argentina. Estabelecido no México desde 2000 e no Brasil desde 2009. Oferece atendimento personalizado, com hora marcada e coleta 24 horas por dia, sete dias por semana. Realiza coleta do sangue do cordão umbilical (SCUPA) no ato do parto (normal ou cesárea) de forma segura, indolor e sem riscos para a mamãe ou o bebê. Processa esse sangue e armazena as células tronco extraídas dele para futuras intervenções de terapia celular. O grupo possui a certificação GLC ISO 9001-2008 e Great Place to Work.

  • Conta com profissionais com mais de 10 anos de experiência em criogenia e possui laboratórios modernos com os melhores equipamentos existentes no mercado mundial e procedimentos de última geração, em consonância com a Internacional Net Cord Foundation, além de estar 100% adequado às normas da vigilância sanitária.

  • Utiliza um sistema totalmente fechado, o SEPAX, para processamento das amostras, extinguindo qualquer risco de contaminação externa ao mesmo tempo em que garante maior obtenção de células-tronco e maior viabilidade celular armazenando as células-tronco em bolsas bipartidas, aumentando as possibilidades de aproveitamento. Além disso, utiliza um envelope especial (OVERWRAP) que envolve a bolsa de congelamento, garantindo 100% de segurança ao processo.

  • Realiza, anualmente, teste de viabilidade celular em amostras, garantindo que as mesmas estão em condições de uso e provê suporte técnico para o tratamento, caso necessário.

  • Parceiro e apoiador de órgãos de pesquisas com células-tronco em todo o país. Nosso interesse é garantir segurança e confiabilidade às gestantes, para que elas possam optar por realizar a coleta e criopreservação das células de seus filhos. Hoje, segunda a Lei no 11633/07 em seu artigo 9, toda mulher deve ter acesso às informações referentes à doação do sangue do cordão umbilical e placentário, seja por um banco privado, como o nosso, ou público (hoje no país dois apenas ligados às maternidades dos hospitais Albert Einstein e Sírio Libanês).

Células- Tronco:

O que são células-tronco ou estaminais? As células-tronco são células básicas – “coringas” que, se originam após o encontro do espermatozóide com o óvulo as quais durante o desenvolvimento embrionário, se convertem em todos os tipos de células (células do miocárdio, células nervosas, glóbulos vermelhos, células cutâneas, etc.). A Natureza torna isto possível através da existência de CÉLULAS TRONCO ADULTAS: células que se dividem numa nova célula-tronco e numa célula especializada como, por exemplo, uma célula nervosa, célula dérmica, hepática e etc. Em etapas avançadas da vida, as células-tronco “reparam” os tecidos danificados.
Por isso são VITAIS para cada um de nós.
São células capazes de multiplicar-se e diferenciar-se nos mais variados tecidos do corpo humano (sangue, ossos, nervos, músculos, etc.). Uma maravilhosa descoberta que tem tornado esperanças de tratamentos de diversas doenças em curas consumadas.
Em uma visão mais simples, podemos descrevê-las como: peças novas que podem substituir peças defeituosas,
isso porque elas se transformam em qualquer célula do organismo ou se fundem a uma célula doente, tornando-a
saudável.
Essas células encontram-se disponíveis em vários tecidos do organismo, como: sangue do cordão umbilical, no próprio cordão umbilical, no líquido amniótico, na medula óssea, na gordura, nos dentes, no interior de alguns órgãos, sangue periférico, etc.
Porem é no sangue do cordão umbilical que facilmente conseguimos captar grande número de células tronco, e com o grande diferencial, são “virgens”, ou seja, não sofreu nenhuma interferência de fatores externos, sendo 100% compatíveis com o doador e considerada uma das mais saudáveis.

A COLETA

É uma coleta simples e indolor tanto para mamãe quanto para o bebê e não interfere em absolutamente nada nos procedimentos rotineiros do parto. O sangue do cordão é coletado em sistema fechado, protegido de contaminação, sendo retirado por meio de punção da veia umbilical. É realizado no centro obstétrico após a retirada do bebê, e do corte do cordão umbilical.

É realizada a assepsia do cordão pelo obstetra que realizará a coleta e o mesmo puncionará a veia do cordão
umbilical que estará ainda ligado a placenta dentro do útero, ou não. Todo material é acondicionado em uma caixa
de transporte de material biológico e encaminhado para o laboratório onde será processado e crio preservado a –
196ºC.
Esse material será processado em sistema fechado totalmente estéril, através do equipamento SEPAX.
Essa tecnologia permite a redução do volume a ser congelado e consequentemente uma diminuição no protetor
celular (DMSO) utilizado, promovendo uma melhora na qualidade do processo e uma recuperação na quantidade
de células.
Durante o procedimento é realizado a dosagem de CD34 para a detecção das células progenitoras, exames microbiológicos, contagem de células e viabilidade celular. Armazenamos separadamente 2 batoques de 5ml e 5 segmentos (para teste de viabilidade celular que são realizados anualmente).
Os testes de viabilidade (anexos) são realizados anualmente de maneira randômica e por amostragem,
com a anuência e supervisão da vigilância sanitária e tem por finalidade verificar a qualidade das células
armazenadas em nossos tanques. Amostras de todos os lotes são testadas.
A célula mais velha armazenada no mundo encontra-se nos EUA e data de 1989 e ainda encontra-se
viva e viável para utilização. Acreditamos que se há 25 anos com a tecnologia da época o processo já obteve esse
sucesso, as tecnologias atuais são capazes de nos proporcionar uma longevidade ainda maior.
Transplantes com células armazenadas no BCU.
O BCU é a empresa que fez o maior número de transplantes dos bancos privados da América Latina.
Realizou até hoje 4 transplantes.
Entre as doenças tratadas, houve diferentes tipos de leucemia, câncer e paralisia cerebral.
O NMDP (National Marrow Donor), que também opera uma rede nacional de bancos de sangue de
cordão umbilical informa que em 2010 foram realizadas mais de 20 000 transplantes de SCU. Em 2006, foram
2.000 transplantes de sangue do cordão umbilical neste ano e estima-se que até 2015 serão 10 mil transplantes
de sangue do cordão umbilical anualmente. Estes números continuarão aumentando exponencialmente nos
próximos anos.
Da mesma forma, é esperado um crescimento rápido no número de transplantes de unidades
armazenadas no BCU nos próximos anos.

Para conhecer as redes sociais e os contatos da BCU, CLIQUE AQUI!

agosto 31, 2017/ por / em, , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vem com a gente
Facebook Vem com a gente Vem com a gente