Dicas

Pilates e os seus benefícios durante a gestação

O pilates é uma atividade física que combina flexibilidade, força, consciência corporal, relaxamento e respiração. O método foi criado em meados de 1920 pelo alemão Joseph Pilates. A técnica pode ser realizada no solo, ou com equipamentos exclusivos, que visa o total e completo controle e conexão entre corpo e mente, promovendo qualidade de vida.

Durante a gestação, os músculos abdominais se distendem para acomodar o bebê em desenvolvimento, e por causa disso, podem ficar enfraquecidos, ocasionando problemas posturais e dores nas costas. Os músculos do assoalho pélvico (períneo) também sofrem grande pressão, ficando sobrecarregados também durante esse período, e como consequência disso, muitas vezes é difícil contrair esses músculos, podendo ocorrer futuramente disfunções uroginecológicas como por exemplo a incontinência urinária.

Os exercícios de Pilates previnem e tratam disfunções posturais e perineais, são adaptados para cada trimestre e para a condição física de cada mulher, além de serem executados de forma lenta e controlado. Ou seja, respeita a individualidade de cada gestante, o que faz com que o método se torne ainda mais seguro. O profissional que atuar nessa área deverá ser capacitado e conhecer as alterações fisiológicas da gestação, para não expor a gestante ao risco.

Benefícios do Pilates na Gestação:

  • Previnir e tratar dor, e desconforto nas costas;
  • Melhorar o condicionamento físico;
  • Fortalecer os músculos;
  • Alongar os músculos prevenindo tensões e lesões;
  • Melhorar a postura;
  • Melhorar a respiração;
  • Melhor a circulação sanguínea;
  • Promover uma melhor oxigenação do bebê;
  • Auxiliar no preparo dos músculos perineais para o parto;
  • Promover relaxamento;
  • Auxiliar no controle da ansiedade;
  • Melhorar a auto estima.

pilates na gestação

Em alguns casos também possuem contraindicações:

  • Batimento cardíaco acelerado;
  • Pressão alta descontrolada;
  • Falta de ar;
  • Dor abdominal;
  • Sangramento vaginal;
  • Contrações muito fortes ou muito próximas;
  • Dor no peito.

Se você é de Campo Grande/MS, agende uma aula experimental e conheça essa modalidade, desfrutando dos benefícios do Pilates durante a gestação.

Giselle Venciguerra Fernandes, mãe de uma menina, Fisioterapeuta com especialização em Saúde da Mulher, atua na área de Obstetrícia. Possui formação em doula e atualmente é responsável pelo curso de gestante da unimed CG, e atua em consultório realizando: preparação para o parto, aula de parto, pilates para gestante e pós-parto, fisioterapia para dor, massoterapia e drenagem linfática em gestantes. Acompanha partos de gestantes de alto risco, onde realiza fisioterapia no pós-parto e procedimento para prevenção de trombose.

março 2, 2017 / por / em,
Fantasia Carnaval – Saia de Tulê

Olá,

Hoje passando rapinho para contar sobre a fantasia de palhacinho do meu filho, que customizei… Então uma coisa que aprendi é que ele não aceita nada na cabeça… a ideia era deixar ele com chapeuzinho para compor a fantasia… Mas não rolou rsrsrs…

Então fica aqui a dica, para você testar os adereços antes… No meu caso, o Heitor tem 2 anos e 4 meses e ele não gosta de bonés, máscaras e pinturas faciais… Bom mas mesmo assim, consegui registrar umas fotos nos 2 minutos que ele ficou com a fantasia praticamente completa! Veja abaixo:

fantasia palhaçinho

Ah também fica a experiência de que é possível fazer uma fantasia improvisada em casa e economizar, sem perder o espírito da brincadeira de carnaval!

Mas hoje queria falar para vocês da saia de tulê. Para quem tem menina e anima fazer uma saia desta, o céu é o limite, pois as possibilidades de fantasia são enormes… Veja algumas fantasias abaixo:

Fantasia com saia de tulê

Todas imagens do Pinterest.

Clique aqui e veja um passo a passo e mais ideias! Abaixo um vídeo rápido para quem prefere ver na prática como é feita a confecção:

Gente, eu fiz questão de escrever sobre a saia de tulê, pois imaginem quantas vezes você pode utilizar desta peça: em festas de carnaval, em festas de hallowen, em ensaios de newborn, em ensaios de gestantes, para fazer uma roupinha de aniversariante, de tal mãe tal filha… Enfim em diversas oportunidades…

Solte a criatividade, se arrisque e tenho certeza que se eu consegui (confesso que sou muito ruim com artesanato), vocês também conseguem!

fevereiro 27, 2017 / 2 Comentários | por / em,
Customização de fantasia infantil

Gente, o carnaval chegou e hoje estamos aqui para falar sobre customização de fantasia infantil. Neste ano eu preferi não comprar uma fantasia pro meu filho, pois afinal ele cresce e perde tudo muito rápido, mas também não queríamos ficar de fora da folia. Então fica aqui o convite: Que tal customizar a fantasia do seu filho ou filha em casa? Hum, sei, você vai dizer que não tem habilidades ou materiais próprios para fazer uma fantasia. E se eu te dizer que tenho uma sugestão que sairia por menos de R$ 5,00, você animaria? Então abaixo irei dar o passo a passo de 3 fantasias: uma abelhinha, um minions e um palhaçinho.

  1. Abelhinha:
  • Material necessário:
  1. Uma tesoura (já tinha em casa);
  2. Cetim, aproximadamente 1 metro na largura de 2 a 3 cm (gastei R$ 0,50);
  3. Um tubo de cola glitter na cor dourada (já tinha em casa);
  4. Um frasco de glitter dourado (R$ 1,50);
  5. Um tubo de cola de silicone (R$ 3,50) ou cola universal (R$ 8,90);
  6. Aproximadamente 80 cm de Tulê amarelo (R$ 2,00);
  7. Uma tiara (já tinha em casa);
  8. Duas bolinhas de isopor pequenas (R$ 0,50);
  9. Um rolinho de arame preto (R$ 1,50);
  10. Tinta guachê preta (já tinha em casa);
  11. Papelão (já tinha em casa);
  12. Um body amarelo (já tinha em casa);

Minha base partiu do body amarelo, mas você pode inverter também, utilizando um colã ou blusa preta e fazendo listras amarelas. Comecei medindo os cetins e ajustando no body. Como não sou boa com costuras preferi colar, mas quem tem habilidade com agulha e linha também tem a opção de fazer uns pontinhos deixando ainda mais firmes os cetins no body. Depois coloquei na tiara uma anteninha feita de arame (enrolei o arame em um palito) e finquei nas pontas as bolas de isopor (pintei com tinta guachê preta e passei cola glitter para finalizar). Fiz um molde de asa e cortei o papelão. Pintei a asa com tinha guachê preta e aproveitei para colocar cola glitter e glitter dourado. Por último coloquei o tulê na asinha.

Veja o resultado abaixo:

WhatsApp Image 2017-02-23 at 09.33.27

 

  1. Minions:
  • Material necessário:
  1. Uma tesoura (já tinha em casa);
  2. Uma blusa amarela (já tinha em casa);
  3. Um macacão jeans (emprestado);
  4. Um pedaço pequeno de EVA branco (já tinha em casa);
  5. Uma impressão do símbolo (imprimi em casa);
  6. 50 cm de elástico preto (R$ 1,50);
  7. Tinta guachê preta e branca (já tinha em casa) ou cinza;
  8. Um tubo de cola de silicone (R$ 3,50) ou cola universal (R$ 8,90);
  9. Dois tubos de papelão (eu usei os de papel higiênico).

Primeiramente imprimi o símbolo do minions que encontrei na net. Recortei e colei no EVA cortado do mesmo tamanho (mas você pode usar papelão ou qualquer material, somente para deixar mais firme). Depois colei o símbolo no macacão. Os óculos foram feitos com o miolo do rolo de papel higiênico. Cortei, pintei de cinza (na verdade só tinha guache preto e branco misturei e virou o cinza) e grampeei ao elástico (veja o vídeo). Gente é só isto… Mas se quiser incrementar, pode colocar uma luva preta, uma touca amarela e colocar uns fios de cabelo de lã preta. Solte a criatividade!

Veja o resultado abaixo:

Minions

 

  1. Palhaçinho:
  • Material necessário:
  1. Uma tesoura (já tinha em casa);
  2. Um rolo de lã vermelha, amarela e azul (cada R$ 2,00);
  3. Body amarelo (já tinha em casa);
  4. Short vermelho (já tinha em casa);
  5. Cetim, aproximadamente 1 metro na largura de 2 a 3 cm (gastei R$ 0,50);
  6. Um tubo de cola de silicone (R$ 3,50) ou cola universal (R$ 8,90);
  7. Chapéu de aniversário de cor única (R$ 8,00 pacote com 10 unid);

Para o palhaçinho fiz 3 pompoms de lã, um de cada cor. Eu preferi fazer com o garfo, por conta do tamanho e da facilidade (tentei fazer com o dedo, com um rolo, mas o que deu mais certo foi o garfinho), conforme abaixo:

pompom de lã como fazer

Imagem tirada da Internet

Ah, outra dica do pompom é que dei aproximadamente 100 voltas… O primeiro que testei fiz com 50 voltas e ficou bem murchinho. Depois fiz um pompom misturando as 3 linhas, para colocar em cima do chapeuzinho, este deixei uma linha bem comprida e colei com durex na parte interna. O cetim, medi no body e cortei. Depois colei tudo com cola silicone. Dei uns pontinhos de costura, só para ficar mais firme, pois os pompoms chamam atenção e com certeza meu filho vai tentar arrancar eles… rsrsrs.

Bem, eu estou terminando uma saia de tulê para combinar com meu filho. Na segunda posto como fiz minha fantasia. Inclusive esta saia de tulê é uma ótima opção para as meninas, pois com ela você pode fazer mil fantasias…

Bom, veja o resultado da fantasia de palhaçinho:

Fantasia customizada Palhaçinho

Também gravamos uma reportagem sobre o assunto para TVI – Band, confira abaixo:

E aí animou? Que tal customizar a sua fantasia e a do seu filho? Se você animou e vai cair na folia não se esqueça de se hidratar muito. Ótimo carnaval 2017! Comente o que achou da matéria! Mande fotos das fantasias que inventou!

fevereiro 25, 2017 / por / em,
Carnaval com estilo

A moda faz parte da cultura de um país, sendo assim diretamente ligada ao Carnaval, onde pode-se expressar realmente “as fantasias”. Adultos, crianças… O fato é que o período contagia a todos e, claro, sempre surgem as idéias e dúvidas sobre qual fantasia é a ideal, qual escolher, etc… Seja qual for, o ideal é usar a criatividade e o capricho. O restante, é só brincar!!!

IMG_3315

Fantasia de princesa – Pode ser usada na festa de aniversário e depois para pular uma matinê!

IMG_3316

Fantasia de fada – Esta sempre é um encanto e não sai da moda.

WhatsApp Image 2017-02-23 at 09.30.20 (1)

Fantasia de palhacinho – para os bebês quanto menos enfeite melhor!

WhatsApp Image 2017-02-23 at 09.30.20Havaianos – E a moda tal mãe tal filho? Quem entra na onda e vai na matinê com a fantasia igual do filho ou filha?

É bom dar preferências para roupas leves, pois as crianças costumam brincar e suar muito. E também é importante tomar muita água… Com estas dicas estamos todos prontos para folia. E vocês já preparam a fantasia de vocês?

fevereiro 24, 2017 / por / em,
Dica de Rotina para o Sono e o Fim do Horário de Verão

Oi, olha a dica prática da nossa querida pediatra Natacha Dalcolmo, mãe de dois pequenos, Heitor e Davi. Medica formada pela Universidade federal do Mato Grosso do Sul desde 2009. Pediatra formada pela Santa Casa de Campo Grande/MS. Pós graduada em cuidados paliativos. Já fez curso de amamentação, recepção e reanimação de recém nascido a termo e prematuro.

Enfim mais um horário de verão está chegando ao fim, então as 00 hora do dia 18/02/2017 para 19/02/2017, precisaremos atrasar o relógio em 1 hora, voltando para 23h. Conclusão: se você tem uma criança que já está acostumada a dormir às 20h da noite, no horário normal será 19h. Só que da mesma forma que dormem mais cedo, poderão acordar mais cedo também…

Então aqui vai uma dica:
Comece desde hoje a aumentar 15 min no início da rotina que você faz para o bebê/criança dormir e vai aumentando a cada dois dias. Exemplo: Se você começa a rotina do sono às 20 horas, passe a começar às 20h15min horas hoje… Que é sexta, e repita no sábado.

No domingo já vai ter trocado o horário, então comece a rotina do sono as 19h30min do horário normal (que equivale às 20h30min horas do antigo horário de verão), já na terça aumente para 19h45min do horário normal e assim por diante até chegar novamente às 20h. Esta rotina de aumentar 15 minutos, pode ser feita a cada 2 ou 3 dias. E aos poucos vá aumentando, logo vocês já estarão novamente iniciando a rotina do sono às 20h. Só que às 20h do novo horário! Pronto… Problema resolvido! 😉

E que tal você grávida também seguir a dica, pois afinal essa mudança de horário afeta todos.

fevereiro 17, 2017 / por / em, ,
Introdução alimentar: Papa Salgada

Para promover o crescimento e desenvolvimento adequados, a partir dos seis meses de idade é necessário começar a introdução de novos alimentos. Só o leite materno já não atende mais às necessidades da criança, podendo levar a uma desaceleração do seu crescimento e a um aumento do risco dela ficar desnutrida e apresentar falta de alguns micronutrientes essenciais para a sua saúde, como o ferro, a vitamina A e o zinco, entre outros.

Depois do passo inicial, com a introdução das frutas, você pode tentar introduzir outros tipos de alimentos e preparações salgadas, que podem ser oferecidos sob a forma de sopas ou purês. A papa salgada deve conter um alimento do grupo dos cereais ou dos tubérculos, um vegetal ou legume e um alimento do grupo das carnes, ovos ou do grupo das leguminosas. Não adicione sal na papa até a criança completar um ano de idade. A criança precisa aprender a conhecer o sabor natural dos alimentos. O sal em excesso é prejudicial à saúde do bebê.

Para a preparação da papa salgada, os alimentos devem ser cozidos em pouca água, sem tempero e oferecidos amassados com um garfo e, de preferência, não devem ser todos misturados no prato. A papa batida no liquidificador ou peneirada não estimula a mastigação e nem permite que a criança aprenda a conhecer os diferentes sabores. Dê preferência para os legumes e verduras da época, são mais baratos, mais frescos e mais nutritivos.

A partir dos oito meses de idade, algumas preparações servidas para a família como arroz, feijão, carne, legumes e verduras podem ser oferecidos à criança, desde que não sejam preparadas com temperos fortes ou picantes. A partir dessa idade, os alimentos podem ser oferecidos amassados, desfiados, picados ou cortados em pedaços pequenos, para estimular a mastigação.

Procure variar a comida do seu filho, isso garantirá o fornecimento adequado de vitaminas e minerais necessários para uma boa saúde e um crescimento adequado.

Procure oferecer o mesmo alimento no mínimo cinco vezes seguidas, mesmo que o seu bebê não aceite, insista. Só podemos dizer que não gostou de algo depois de muitas vezes oferecidas. Outro fator importante para oferecer seguidas vezes o mesmo alimento, é ter tempo para observar alguma possível alergia ou reação.

A ingestão de frutas legumes e verduras é parte integrante de um regime alimentar nutricionalmente equilibrado e saudável e deve ser sempre incentivado pelos pais e/ou responsáveis.

MINISTÉRIO DA SAÚDE (BRASIL). Guia Alimentar para crianças menores de dois anos. Disponível em: http://www.blog.saude.gov.br/34130-conheca-as-10-dicas-do-guia-alimentar-para-criancas-menores-de-2-anos.html. Acesso em 28 janeiro de 2017.

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA (BRASIL) Alimentação infantil: cartilha de orientação aos pais, 2007, 86 p.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA (Brasil) Manual de orientação para a alimentação do lactente, do pré-escolar, do escolar, do adolescente e na escola. Departamento de Nutrologia, 3ª. ed. Rio de Janeiro, RJ: SBP, 2012. 148 p.

VITOLO,  M. R. Nutrição: da gestação ao envelhecimento. Rio de Janeiro: Ed. Rúbio, 2008.

Carolina Zampieri, mãe de uma pequena de 6 anos, nutricionista, realiza atendimento personalizado em home care e consultório, aprimorada na elaboração de um plano nutricional que promova saúde, prevenindo doenças e, o mais importante, melhorando a qualidade de vida nas diversas fases da vida.

fevereiro 8, 2017 / por / em, , ,
As crianças e as quedas / batidas de cabeça!

A maioria das quedas ocorre em casa, acomete crianças de 0 a 5 anos, e estão associadas à ausência de algum cuidador. Com a supervisão de adultos, modificações do ambiente onde a criança vive, brinca e estuda, e informações claras em produtos de uso infantil, o risco e as lesões decorrentes de quedas podem ter uma redução significativa. A cabeça é proporcionalmente grande e pesada, aumentando o risco de que trauma principal e mais forte ocorra nela.

Apesar da alta frequência de ocorrência, a letalidade relacionada as quedas é baixa, porém ela é a principal causa de internação por acidentes em crianças segundo a Rede Nacional da Primeira Infância.

Critérios a serem considerados na queda:

  • Altura da queda: logicamente quanto mais baixo, menor o risco.
  • Velocidade: um bebê que caiu de um bebê conforto mal fixado em um freada do carro tem mais risco do que a mesma queda do bebê conforto parado no chão.
  • Alterações de comportamento como choros, irritabilidade que não cessa com colo, sonolência excessiva (ELES PODEM DORMIR, só não é normal eles não acordar por nada) perda de movimento e etc. Sempre que houver suspeita de fratura… ou na dúvida, todo bebê menor de um ano deve ser observado é levado para avaliação médica.
  • Obs.: Vômitos nas primeiras 24-48 hs: relacionados a trauma cerebral / Desmaio ou perda de consciência: relacionado a alto risco de lesão.

Estes também são critérios que exigem avaliação médica:

  • Queda de uma altura maior que 1 metro.
  • Queda da escada com mais de 4 degraus.
  • Acidente com automóvel.
  • Presença de hematomas nos olhos (olho roxo).
  • Presença de galo na cabeça: em região próxima da orelha (região temporal) e na parte posterior da cabeça.
  • Sangramento pelo ouvido ou nariz.
  • DIficuldade para andar ou falar, quando já tiver essas habilidades.
  • Moleira abaulada (fontanela), se for bebê.

Em Campo Grande/MS:
O lugar referência para suspeita de lesão na cabeça é a Santa Casa do Sus (entrada na Rua Rui Barbosa).

Imagem do arquivo pessoal (não reproduzir sem autorização!)

Repetindo sobre o DORMIR:

Se o acidente aconteceu próximo da hora de dormir, ou no horário daquela sonequinha da tarde, pode-se deixá-la dormir. Após mais ou menos 2 horas, acorde-a e veja se está tudo bem. Claro que a criança estará sonolenta, mas ele deve reagir. Se ficar insegura, durma com ela. Após todo o estresse da queda e de tanto chorar, a criança pode mesmo ficar cansada e querer dormir, o importante é avaliar a criança de tempos em tempos.

Conclusão: Não deixá-los nem por 1 segundo em lugares sem grades.

Abaixo uma figura sobre os andadores:

Créditos da imagem (fisioterapia.com)

“Nenhuma dica substitui uma consulta com o pediatra!”

Natacha Dalcolmo, Mãe de dois pequenos, Heitor e Davi. Medica formada pela Universidade federal do Mato Grosso do Sul desde 2009. Pediatra formada pela Santa Casa de Campo Grande/MS. Pós graduada em cuidados paliativos. Já fez curso de amamentação, recepção e reanimação de recém nascido a termo e prematuro.

janeiro 31, 2017 / por / em,
Pronação Dolorosa: Susto da Mãe Glê Schmitt

Vamos falar um pouco sobre o susto que a mãe Glê Schmitt passou com sua filha Malu, que na época ainda não tinha completado 2 anos.

A foto acima mostra exatamente a pose (foto do arquivo pessoal da blogueira Glê Schmitt), só que em um cenário diferente, quando ela viveu um dos maiores sustos da sua vida e a maior culpa de mãe nos então cinco anos de maternidade. Para ler a estória completa entre AQUI!

Com a colaboração da pediatra Dra. Natacha Dalcomo (CRM/MS 6120), que explicou com termos médicos, sobre o corrido com a Malu. Compartilharmos com vocês as explicações que foram dadas:

PRONAÇÃO DOLOROSA
É um deslocamento da cabeça do rádio (osso do antebraço) em relação ao ligamento anular.
Esta lesão ocorre em crianças menores de cinco anos, devido à consistência mais elástica dos ligamentos e ao desenvolvimento ósseo incompleto. A história é quase sempre a mesma, a criança é puxada pela mão ou pelo antebraço (ex: mãe segura a criança para que esta não saia correndo pela rua, ou quando a criança é balançada pelos braços).

TRATAMENTO
Procurar atendimento médico para que seja feito o adequado tratamento.
Na vigência da descrição clássica do trauma, o procedimento a ser realizado se chama redução, que consiste em “colocar o osso deslocado no lugar”. Feito isso, a melhora da dor e o restabelecimento dos movimentos são quase imediatos.

EVITE
Manipular o braço da criança, principalmente quando o momento do trauma não foi testemunhado, ou seja, quando há apenas o relato de trauma e choro. Evite também puxar a criança pelas mãos, desta forma, não ocorre o mecanismo de tração sobre o cotovelo.

Imagem: Shutterstock

Glê Schmitt, blogueira, mãe de três: Jotapê, Malu e Floflô. Cheia de loucura baseada na vida materna, querendo compartilhar desabafos, erros, acertos, pérolas e aprendizados desse caos delicioso que é ser mãe.

janeiro 27, 2017 / por / em,
Dicas de Estilo: Moda Gestante

É justamente sabido e acontece com a grande maioria das mulheres, a queda da auto-estima durante o período gestacional. Com as mudanças no corpo, a mulher encontra maior dificuldade em se “enxergar” bem vestida e na moda estando grávida. Mas, como a moda é feita para todos, é só saber o quê e como usar!

Os decotes em “V” alongam o colo e dão profundidade, disfarçando na medida o volume dos seios. As calças e shorts mais soltos, trazem uma proporção muita equilibrada das partes superior e inferior do corpo, além de serem mais confortáveis, afinal, geralmente usa-se elementos mais amplos em cima por conta do aumento abdominal. O equilíbrio das cores e estampas também funcionam bem: estampas aumentam a silhueta, sendo interessante optar então por cores lisas ou listras verticais, que alongam ligeiramente a silhueta e não comprometem quando compostas até com outro tipo de estampa.
A sapatilha virou ítem oficial da gestante, mas não necessariamente precisa ser assim, podendo sim ser usado um salto de tamanho mediano, o que alonga a silhueta e deixa qualquer look mais “arrumado”. E que tal substituir as sapatilhas pelos tênis que estão altamente em evidência?! O look ficará super moderno e fashion, podendo ser usado com alfaiataria, vestidos amplos ou justos, saias, shorts, “jumpsuits” (macacões), enfim…todos ítens do closet de uma mulher, gestante ou não, atualmente combinam perfeitamente com o tênis.

Foco nos acessórios: lenços, colares, pulseiras, roubam a atenção muitas vezes até do próprio look, sendo assim, quanto mais pele aparecer e mais acessórios equilibrados tiver, melhor será a composição.
As roupas mais justas também têm seu lugar  de valor durante a gestação, e para não impactar tanto visualmente, o adequado é conciliar ao uso de uma “peça disfarce”, ou seja, uma camisa aberta por cima de um vestido justo ou amarrada na cintura, irá disfarçar sutilmente as curvas sem deixar de ser moderno e interessante.”

Abaixo alguns looks de inspiração:

Thaís Castilho Viais, fashion, personal stylist, com foco em consultoria de imagem e estilo pessoal. Thaís, mãe da Stella de 7 anos, estará dando dicas especiais para o nosso público materno-infantil (gestantes, mamães que estão amamentando, crianças e para mamães que estão querendo encontrar um estilo)!

janeiro 23, 2017 / por / em, , ,
As mães empreendedoras e as metas

1515omeço de ano é um momento muito propício para pensarmos em nossas metas e objetivos. Para as mães empreendedoras, pensar nas metas é ainda mais importante.

Se as mães começam a empreender para ter mais flexibilidade na vida e na carreira, o bom uso do tempo deve ser pensado, planejado e usado para que você chegue o mais rápido possível nos seus objetivos.

Mas para chegar até eles, em primeiro lugar é preciso definí-los de forma correta.

As metas são como marcações no caminho que nos levam ao resultado final. Cada vez que uma é cumprida, criamos fôlego para seguir para a próxima.

Mas para que elas sejam efetivas, é importante que elas tenham algumas características:

  • Mensuráveis
  • Alcançáveis
  • Relevante
  • Tempo-limite
  • Específica

Vamos a um exemplo? Você precisa vender 3 mil reais em um mês, mas se dividir por 30 que são os dias do mês, sabe que por dia tem que vender no mínimo 100 reais.

Note que esta meta ficou muito mais motivadora e além disso, ficou mensurável (porque você pode medir), alcançável (é possível de ser atingida), relevante (você precisa vender este valor para sustentar a empresa), tempo-limite (24 horas é o tempo limite que tem para atingir esta meta) e é específica (meta de vendas).

Faça isso com seus outros objetivos. Dessa forma, é mais fácil dividir o trabalho entre os dias, mas fácil de controlar os resultados e de fazer mudanças em seu negócio ou rotina de trabalho, se necessário.

Bárbara Vitoriano é mãe de duas, Jornalista por profissão e paixão, blogueira e empreendedora digital. Após a maternidade descobriu um novo mundo, novas paixões e daí surgiram novos projetos e negócios. Nascia uma mãe empreendedora que queria mais controle sobre sua rotina para ter uma maternidade mais ativa. Escreve no www.indiretasmaternas.com.br e fala sobre empreendedorismo materno no www.empreendermaterno.com.br

janeiro 15, 2017 / por / em,
Vem com a gente
Facebook Vem com a gente Vem com a gente