Dicas

Vídeo com dados sobre: Saúde das crianças e adolescentes na Era Digital

A um tempo atrás postamos no site o conjunto de orientações em defesa da “Saúde das crianças e adolescentes na Era Digital” que a SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria) divulgou. E dividi também minha experiência, dificuldades e erros sobre o tema. E dias atrás, vi este vídeo que reforça a importância sobre o assunto… Como vocês lidam com esta relação tecnologia x crianças?

janeiro 8, 2017 / por / em, ,
Bombas extratoras e para que servem

Bombas extratoras, ou bombas de tirar leite, são equipamentos manuais ou elétricos, que ajudam as mamães a tirarem de forma prática e rápida o leite materno (veja vídeo). Elas são indicadas para as mães com: mamas empedradas, mamilos doloridos, machucados ou com sangrando, mamilos invertidos, mamilos planos, bebês que não conseguem fazer a pega correta ao seio materno, bebês que tem dificuldade de sucção, mamas muito cheias, bebês prematuros, bebês internados; as bombas extratoras também ajudam: na estimulação de produção de leite e no estoque de leite materno (em casos de volta ao trabalho, pequenas cirurgias e/ou pequenas ausências de casa).

A NanaNenê nos informa que o processo de descida do leite normalmente começa por volta dos três aos cinco dias após o nascimento do bebê e vão durar em média três dias, onde as mamas ficam endurecidas, doloridas, quentes e o bebê terá dificuldades para conseguir mamar! Mas esta fase é passageira e as mamas ingurgitadas (mamas cheias, endurecidas, empedradas) logo melhoram*. Neste processo, as massagens ajudam muito, e ordenhar o leite, seja manualmente ou com a bomba, irá melhorar o estado de ingurgitamento das mamas.

Paula Serafin, também nos fala que nos primeiros dias de vida do bebê, as mamães produzem o colostro que é denso, não flui (não esguicha) e é de fácil digestão, além de que o volume de “leite” produzido, não é muito grande (3 a 5 ml), até porque devemos nos lembrar que a capacidade do estômago do recém-nascido é reduzida e por isto eles costumam mamar com frequência (normalmente a cada 3hs).

E para auxiliar em quaisquer indicações acima, a NanaNenê recomenda as locações das bombas elétricas da marca Medela, pois são de fácil manuseio, têm regulagem sensível de pressão e  por isso não machucam os seios. São muito confiáveis e tiram o leite de forma agradável e indolor em dois ciclos automáticos. Se você é de Campo Grande/MS entre em contato com a NanaNenê  e loque bombas elétricas para retirar leite!

*É sempre bom lembrar que o que segue são apenas orientações gerais, não devendo nunca servir de base para auto-diagnósticos. Se os sintomas persistirem procure uma consultora em amamentação ou seu médico.

Paula Serafin – Enfermeira formada em 2002 na UFMS mãe de um casal de filhos e consultora de amamentação por virtude, especializada em neonatologia na UERJ  em 2003. Inicialmente auxiliando no processo pos-internação dos prematuros a consultoria foi ao longo dos anos se expandido, o conhecimento a leva ao doutorado no ano de 2012 em leite humano e alimentação do recém-nascido prematuro, com término em 2015.

janeiro 3, 2017 / por / em
A Polêmica da Uva Passa

Fim de ano é tempo de confraternização e comer pratos tradicionais, com muitas uvas passas. Porém, nem todos concordam com a última ressalva. A polêmica sobre o ingrediente sempre aparece nesta época do ano, e ficam ainda mais intensas com as ceias de Natal.

Mas afinal de contas, a uva passa pode ser considerada um bom alimento? Fato é que a uva traz uma série de benefícios, sendo uma fruta importante para quem não abre mão de uma alimentação saudável e equilibrada. As passas são ricas em carboidratos, fonte de energia para o nosso corpo. Vitaminas do complexo A e B, minerais como cálcio, ferro, potássio, Magnésio, zinco, antioxidantes e o resveratrol que, de acordo com pesquisas, ajudam a desacelerar o processo de envelhecimento e até mesmo previne o aparecimento de algumas doenças, como o câncer, Alzheimer, Parkinson e demência. Possuem ação anti-inflamatória pela presença de polifenois e fortalece o corpo pelo alto teor de arginina. As uvas passas auxiliam também no bom funcionamento intestinal, pelo alto teor de fibras, o que pode garantir a saciedade e induzir ao menor consumo de calorias, levando à perda de peso. Quanto à aceitabilidade das uvas passas, percebe-se que é mais aceita individualmente, do que misturada com outros alimentos. Isso vai depender do paladar de cada pessoa. Algumas não apresentam boa aceitabilidade na mistura de sabores doces e salgados, enquanto outras não têm problema algum. No mais, as uvas passas são alimentos nutritivos que valem à pena ser incluídas de alguma maneira na nossa alimentação. Lembrando que todos os alimentos, inclusive os saudáveis, devem ser consumidos com equilíbrio, sem excessos. As quantidades diárias podem variar de acordo com as necessidades individuais, mas, no geral, as uvas passas podem ser ingeridas diariamente, em pequenas quantidades, pelo menos, uma vez ao dia.

Carolina Zampieri, mãe de uma pequena de 6 anos, nutricionista, realiza atendimento personalizado em home care e consultório, aprimorada na elaboração de um plano nutricional que promova saúde, prevenindo doenças e, o mais importante, melhorando a qualidade de vida nas diversas fases da vida.

dezembro 31, 2016 / por / em,
Desfralde

É verdade que NÃO existe uma idade certa ou ideal para começar a tirar as fraldas da criança, mas a maioria começa a ficar pronta, em termos físicos e cognitivos, mais ou menos por volta dos 2 anos de idade (embora algumas só estejam preparadas bem depois de completar 3 anos).

O jeito de tirar a fralda de uma criança mudou bastante nos últimos anos, por mais que sua Tia Avó diga que os bebês com 1 ano já não usava mais fralda. Pesquisas demonstraram cientificamente que as crianças só começam a controlar os músculos da bexiga e do reto a partir de 1 ano e meio.

Começar antes da hora pode prolongar o processo todo e deixá-lo mais difícil para os pais e para criança.

Dar início ao treinamento perto de uma grande mudança na vida da criança não é uma boa ideia.
Crianças pequenas vivem de rotina, e qualquer alteração é suficiente para bagunçar o mundo e a cabeça delas.
O melhor é esperar até a mudança já ter acontecido e a criança estar acostumada a ela.

É duro segurar a ansiedade, mas se você forçar uma barra corre o risco de deixar a criança aflita e assustada, e tudo o que você não quer é que ela comece a segurar o cocô, o que pode levar a casos graves de constipação intestinal.

Então, quando devemos começar o desfralde?

* Faz bastante xixi de cada vez e fica “seco” por pelo menos três ou quatro horas, ou seja, os músculos da bexiga conseguem segurar a urina.
* Faz um cocô em horários mais ou menos previsíveis.
* Consegue abaixar e levantar as calças.
* Fica incomodado quando a fralda está suja ou molhada.
* Dá sinais quando está com vontade de fazer cocô, seja avisando ou fazendo aquela carinha … mas sempre ANTES de fazer coco

Vá avançando no ritmo da criança, passo a passo, devagar.
Você pode incentivá-la com livrinhos, histórias, idas ao banheiro, cuecas e calcinhas novas.
Mas não force se ela não quiser.

E não exagere nas ofertas: se você tiver de levá-la ao banheiro de hora em hora para não haver acidentes, quem está treinado é você, não seu filho!!

Dar bronca, ficar bravo ou botar de castigo porque a criança não está interessada no penico, recusa-se a sentar lá ou deixa escapar o xixi ou o cocô pode retardar o processo ou causar problemas.

Os acidentes fazem parte do processo. Quanto mais bronca a criança levar, menos interessada ficará em aprender: ela vai ter medo de deixar escapar de novo e levar mais bronca. Outros efeitos colaterais são a criança começar a segurar o cocô, o que pode levar a casos graves de prisão de ventre, ou ficar mais suscetível a infecções do trato urinário.

Caso os acidentes estejam muito frequentes talvez seja o caso de voltar atrás.

“Nenhuma dica substitui uma consulta com o pediatra!”

Natacha Dalcolmo, Mãe de dois pequenos, Heitor e Davi. Medica formada pela Universidade federal do Mato Grosso do Sul desde 2009. Pediatra formada pela Santa Casa de Campo Grande/MS. Pós graduada em cuidados paliativos. Já fez curso de amamentação, recepção e reanimação de recém nascido a termo e prematuro.

dezembro 27, 2016 / por / em,
Fisioterapia Obstétrica

A Fisioterapia Obstétrica é uma especialidade muito importante que atua durante a gestação, trabalho de parto e pós-parto para uma melhor qualidade de vida.  Durante a gestação auxilia na prevenção e tratamento de dores musculares e articulares, na melhora da postura e da circulação sanguínea.

Para as gestantes que se interessam pelo parto normal são realizados exercícios de preparação para o parto, mobilização pélvica e orientações para o trabalho de parto. Para as gestantes que não optarem ou por algum motivo não possa realizar o parto normal, também é realizado um trabalho de fortalecimento da musculatura do períneo, que é um grupo de músculos bastante sobrecarregados durante a gestação. Algumas técnicas são utilizadas dentro da Fisioterapia Obstétrica, dentre elas: Cinesioterapia, Pilates, Crioterapia, Utilização de calor, Terapia Manual, Massoterapia, Bandagem Terapêutica, Drenagem Linfática, entre outras.

Durante o Trabalho de parto são realizados exercícios e posturas que auxiliam na dilatação do colo uterino, técnicas de massagens para relaxamento, uso de água quente, eletroestimulação para redução da dor e exercícios respiratórios, também são realizados procedimentos como ausculta do batimento cardíaco fetal e aferição de pressão arterial se necessário.

No pós-parto são realizados exercícios e técnicas para tratar dores, reduzir inchaços, tensões e reabilitar músculos, fazendo com que o corpo volte para o estado não gravídico mais rapidamente.

No pós-parto de gestantes de alto risco a fisioterapia é indicada ainda na maternidade/hospital.

Se você é de Campo Grande/MS, agende uma aula experimental e conheça as técnicas utilizadas dentro da Fisioterapia Obstétrica.

Giselle Venciguerra Fernandes, mãe de uma menina, Fisioterapeuta com especialização em Saúde da Mulher, atua na área de Obstetrícia. Possui formação em doula e a21tualmente é responsável pelo curso de gestante da unimed CG, e atua em consultório realizando: preparação para o parto, aula de parto, pilates para gestante e pós-parto, fisioterapia para dor, massoterapia e drenagem linfática em gestantes. Acompanha partos de gestantes de alto risco, onde realiza fisioterapia no pós-parto e procedimento para prevenção de trombose.

dezembro 22, 2016 / por / em, ,
Introdução alimentar: Frutas

            O bebê acaba de completar 6 meses, e agora? Agora você deve começar, aos poucos, a introdução de outros alimentos, mantendo o leite materno até os 2 anos de idade ou mais.

Quando chega a fase da introdução alimentar, a partir dos seis meses de idade (até quando deve durar a amamentação exclusiva), as frutas devem ser a primeira novidade na dieta do bebê.

Como o bebê está conhecendo os alimentos, a melhor forma de apresentar as frutas é in natura e, preferencialmente, uma de cada vez. A introdução gradual de diferentes alimentos possibilita que você identifique os sinais de uma possível reação alérgica, como a presença de diarreia, dores de barriga ou manifestações cutâneas.

De início, pode ser que ele não aprecie muito o gosto, mas vale a pena insistir para, aos poucos, ir educando o paladar da criança. Pode demorar até dez tentativas para ela aceitar a novidade, além disso, o bebê precisa de tempo para se acostumar aos novos gostos e à consistência dos alimentos.

É importante para o bebê conhecer o sabor de cada fruta, a textura, a consistência, saber que algumas são mais doces e outras mais azedas, que algumas soltam mais líquido, que algumas têm gominhos. Também deve-se evitar de bater as frutas no liquidificador para transformá-las em creme ou cozinhá-las, o bebê pode demorar mais a conhecer e aceitar a fruta de verdade.

Alguns bebês demoram mais que os outros para começar a aceitar a fruta in natura, e isso é normal, é preciso respeitar o tempo do seu bebê. Mas todos são capazes de comer desse jeito.

Caso o bebê demonstre não ter gostado da experiência, tente oferecer o mesmo alimento alguns dias depois. Pode ser que a reação seja a mesma, mas não desista, porque muitas vezes as crianças acabam se acostumando aos novos sabores.

A ingestão de fruta é parte integrante de um regime alimentar nutricionalmente equilibrado e saudável e deve ser sempre incentivado pelos pais e/ou responsáveis.

Ensine seu bebê a amar as frutas. É bom demais!

Fontes:

MINISTÉRIO DA SAÚDE (BRASIL). Guia Alimentar para crianças menores de dois anos. Disponível em: http://www.blog.saude.gov.br/34130-conheca-as-10-dicas-do-guia-alimentar-para-criancas-menores-de-2-anos.html. Acesso em 02 dezembro de 2016.

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA (BRASIL) Alimentação infantil: cartilha de orientação aos pais, 2007, 86 p.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA (Brasil) Manual de orientação para a alimentação do lactente, do pré-escolar, do escolar, do adolescente e na escola. Departamento de Nutrologia, 3ª. ed. Rio de Janeiro, RJ: SBP, 2012. 148 p.

VITOLO, M. R. Nutrição: da gestação ao envelhecimento. Rio de Janeiro: Ed. Rúbio, 2008.

Carolina Zampieri, mãe de uma pequena de 6 anos, nutricionista, realiza atendimento personalizado em home care e consultório, em Campo Grande/MS, aprimorada na elaboração de um plano nutricional que promova saúde, prevenindo doenças e, o mais importante, melhorando a qualidade de vida nas diversas fases da vida.

dezembro 10, 2016 / por / em,
Universo do casal grávido

Atualmente é comum escutarmos a expressão “casal grávido” deixando de lado a figura materna como a única que tem deveres e cuidados no processo de gestação, gerando assim o imaginário e o emocional de ambos os parceiros no âmbito individual e do casal no processo de engravidar.  Nesse contesto tanto a mulher como o homem ficam grávidos. E para auxiliar esses “Casais Grávidos” a NanaNene proporciona um momento ativo em estações de trabalho, onde a Enfermeira neonatologista, doutora em leite humano e Consultora perinatal Paula Serafin aplica aulas práticas com bonecas e banheiras, simulando situações corriqueiras dos primeiros dias da chegada do bebê.

As bonecas simuladoras proporcionam uma experiência prévia de diversas situações:

  • Banho do recém-nascido
  • Curativo do coto umbilical
  • Posicionamento no carrinho, bebê conforto no berço
  • Arroto do bebê
  • Trocas de fraldas
  • Conferência orientações do enxoval
  • Organização da mala para maternidade (mamãe/papai e bebê)
  • Adequação de acessórios para cuidados com o bebê
  • Treinamento de práticas de cuidados e amamentação

Os encontros de forma mais descontraída e realistas com os casais e os demais cuidadores (babás, avós) ajudam os casais a vivenciarem momentos duradouros com seus filhotes. Tirando assim aquele medo na hora de trocar a fralda do bebê, mas sempre ficam dúvidas… Quantas fraldas vamos trocar? O que devemos passar quando o bebê fica assado? De quanto em quanto tempo devemos olhar a fralda? Isso e muito mais, é abordado em uma conversa agradável.

Uma dúvida muito frequente entre os casais é na hora do cuidado com o coto umbilical, tema este que é muito trabalhado no encontro Casal Grávido. Por mais que o pediatra forneça todas as instruções necessárias, é impossível não sentir certo receio ao chegar em casa e ter que enfrentar sozinha a limpeza do umbigo do bebê. Ele é apenas um pedaço do que restou do cordão umbilical, que liga o feto à placenta dentro do útero e é responsável por manter a circulação sanguínea entre ele e a mãe, com transporte de nutrientes e oxigênio, durante toda a gestação.

Logo que a criança nasce, o cordão umbilical é cortado, num procedimento indolor, e um pedacinho de 2 a 3 centímetros, mais conhecido como coto, ainda fica ligado à barriga do recém-nascido.  E para quebrar essa barreira do medo, a enfermeira mostra na prática como auxiliar  no cuidado na hora de limpar, sem precisar sentir medo.  “É necessário sempre ter em mãos um álcool 70%, cotonetes  e um pacote de fraldas. É simples o processo”, afirma a enfermeira.

Paula ressalta que a maternidade não tem segredo: “No curso vamos mostrar para a mãe que aquele filhote é dela, que ela vai achar sua própria forma de dar aquele banho e de cuidar, então vamos mostrar várias formas porque nem sempre a mãe se adapta a uma única maneira”.

Os cursos são conferidos em Campo Grande – MS, na Cassems, na Unimed e agendados para treinamento exclusivo no consultório ou em seu domicílio.  Agende uma consultoria antes de seu bebê nascer, empodere-se de conhecimentos para receber seu tesouro.

Paula Serafin – Enfermeira formada em 2002 na UFMS mãe de um casal de filhos e consultora de amamentação por virtude, especializada em neonatologia na UERJ  em 2003. Inicialmente auxiliando no processo pos-internação dos prematuros a consultoria foi ao longo dos anos se expandido, o conhecimento a leva ao doutorado no ano de 2012 em leite humano e alimentação do recém-nascido prematuro, com término em 2015.

dezembro 4, 2016 / por / em
Saúde de Crianças e Adolescentes na Era Digital

No início desse mês de novembro, a SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria) divulgou um manual de orientação à pediatras, educadores e escolas, pais, crianças e adolescentes, sobre o uso da tecnologia, além de apresentar seus benefícios e malefícios. Com a era digital, o acesso à celulares, televisão e internet ocorrem em idades cada vez mais precoces. Mas conforme este Manual de Orientação, alguns limites e informações são fundamentais para que a utilização dessas tecnologias não cause prejuízo e danos à saúde, ou até mesmo dificuldades de socialização, aumento de ansiedade, violência, cyberbullying, dificuldades escolares, transtornos de sono e alimentação, sedentarismo e etc.

Eu preciso confessar que aqui em casa, por várias vezes utilizamos o celular ou a televisão, para entreter meu filho, enquanto precisamos realizar alguma atividade… E ao ler o manual, percebi que ele começou o contato com celular e TV muito cedo (aproximadamente 1 ano), sendo que o recomendado pela cartilha seria a partir de 2 anos. Atualmente, com 2 anos, ele continua assistindo muito a TV e se somarmos o tempo de todos os desenhos, filmes, músicas e etc. serão aproximadamente 3 horas por dia, sendo que a orientação do Manual sugere no máximo 2 horas/dia. E sabe aquela recomendação que escutamos sobre não deixar o filho assistir TV ou ver vídeos para se alimentar ou para dormir? Infelizmente aqui esta cena acontece com frequência.

Mas, e antigamente, como as mamães faziam então? Não sei se irão concordar, mas me lembro de em muitas casas terem o “cercadinho”, onde os bebês e crianças costumavam ficar brincando sozinhos, enquanto as mamães trabalhavam em casa… Então vejo que aqui em casa estou tentando usar a tecnologia como um “cercadinho digital”.

O manual adverte ainda que os adultos, se tornam um modelo de referência para seus filhos. Portanto precisamos dar o primeiro exemplo, como o limite de tempo de trabalho no computador, quando em casa, ou seja, desconectar e estar presencialmente com nossos filhos. Este seria outro ponto que necessitamos nos policiar, pois costumamos utilizar bastante o celular e computador, nos acessos ao facebook, instagram, e-mail e whats app (atualmente o aplicativo mais utilizado por mim).

Antes mesmo de ter visto as orientações, já tinha a pretensão de começar a diminuir ou pelo menos otimizar o uso do celular, pois de que adiantava eu colocar meu filho no quarto brincando, ficar ao lado dele, mas não sair do celular… Ele estava sozinho do mesmo jeito! E nesta fase dos 2 anos eles querem interagir, aprender e observam tudo!

Enfim… Compreendi que necessitamos mudar alguns hábitos, porém não será nada fácil adaptarmos uma nova rotina. Com certeza há benefícios e malefícios que acompanham a tecnologia digital. Fundamental é o bom senso e informação adequada.

Fico pensando nas mães e pais que tem crianças maiores ou até adolescentes e precisam ter cuidado redobrado, pois conforme o manual, são os mais atraídos pela informática (época da descoberta do vídeo game)… E nem imagino o quão difícil deve ser criar mecanismos para controlar o uso da tecnologia nesta faixa etária, ou de definir regras, ensinar o que se deve ou não ver na internet, pois é tudo muito “a mão”. Mas acredito que a confiança recíproca seja a melhor solução, pois se o seu filho te enxergar como um adulto confiável, acessível e compreensivo, ele irá sempre te contar o que está acontecendo e você poderá orienta-lo da melhor forma. Só imagino, pois ainda não chegamos nesta fase (risos, falar sempre é mais fácil que fazer, não é?).

E vocês o que acham das orientações? Acessem a cartilha no link http://www.sbp.com.br/src/uploads/2016/11/19166d-MOrient-Saude-Crian-e-Adolesc.pdf

Vamos trocar informações? Conte-nos sua experiência!

novembro 29, 2016 / por / em, , ,
Vale a pena ter uma loja virtual?

Diante das facilidades de se montar e gerenciar uma loja virtual, este acaba sendo o caminho que muitas mães empreendedoras escolhem.

Mas para a empresa dar certo, não basta montar a loja, é preciso saber vender pela internet o que é um pouco diferente de vender de modo presencial.

Então, uma das perguntas que mais recebemos lá no Empreender Materno é justamente se vale a pena ter uma loja virtual, se é possível um negócio pequeno sobreviver e concorrer com tantas lojas grandes.

A resposta é sim, mas é preciso planejamento e conhecimento da área para se destacar e conquistar clientes.

Ter uma loja virtual têm uma série de vantagens:

– Baixo custo de criação;
– Baixo custo de manutenção;
– Loja sempre aberta;
– Possibilidade de atingir nichos e micronichos;
– Possibilidade de automatizar os processos;

Para mães empreendedoras, ela se torna um ótimo caminho, já que podemos coordenar horários para trabalhar na loja, assim como para empacotar, despachar e dessa forma ter flexibilidade de horário de trabalho.

Mas ao mesmo tempo temos desafios a serem superados. É preciso conhecer a fundo todos os processos que envolvem uma loja que vão desde impostos, logística até ao marketing.

Por isso, se está em dúvida se monta ou não uma loja virtual, o melhor é realizar uma pesquisa sobre seu nicho, conhecer mais de e-commerce e marketing digital para se preparar a vencer qualquer desafio que venha a surgir.

É válido lembrar que esta é uma área em franco crescimento e se, começar de maneira correta, são grandes as chances de dar certo.

Bárbara Vitoriano – é mãe de duas, jornalista por profissão e paixão, blogueira e empreendedora digital. Após a maternidade descobriu um novo mundo, novas paixões e daí surgiram novos projetos e negócios. Nascia uma mãe empreendedora que queria mais controle sobre sua rotina para ter uma maternidade mais ativa. Escreve no www.indiretasmaternas.com.br e fala sobre empreendedorismo materno no www.empreendermaterno.com.br

novembro 24, 2016 / por / em,
Pekenitos Personalize

Quem tem bebês que vão para a creche sabe que precisa sempre identificar todos os pertences do filhote, porém, com o corre corre do dia a dia, as vezes esquecemos de colocar nome naquele babador novo, por exemplo.

Pensando em facilitar a vida das mamães, a Pekenitos tem uma linha personalizada para os pequenos, onde você pode escolher a cor e colocar o nome do seu filho.

Da uma olhada que fofura que são os babadores e o kit lanche:

a68a5e506717cc8e48fc7ec9d86593d5

Os babadores bandana são inspirados nos babadores ingleses. São bonitos, práticos e um acessório super estiloso para o bebê. Combinam com qualquer roupinha e mantém o peito do bebê limpo e sequinho. O babador bandana liso vai proteger o bebê nos passeios, festas e em todas as refeições. Um item muito importante no enxoval de todos os bebês.
Nossos babadores são confeccionados em tecido 100% algodão, sendo a frente em tricoline e o verso atoalhado. Possuem tamanho único e dois botões de pressão para regulagem de tamanho, trazendo maior conforto para o seu bebê. A limpeza é super fácil evitando o acúmulo de alimentos.

a9bb6f96ccb742974eab19eba6454b18

Ideal para compor o enxoval do bebê e presentear futuras mamães.
O kit é composto por um babador bandana e uma fraldinha de boca com barrado de tecido no tema . As fraldinhas de boca são feitas em tecido de fralda de alta qualidade com barrado em tricoline, medem 35 x 35 cm e podem ser lavadas à maquina.

Acesse http://www.pekenitos.com.br/personalize e boas compras :)

setembro 21, 2016 / por / em,
Vem com a gente
Facebook Vem com a gente Vem com a gente