Dicas

Dicas para deixar a casa segura para as crianças

Quando se tem crianças pequenas em casa, deve-se pensar, além dos artigos de decoração, também na segurança do ambiente do lar. É bom pensar bem na escolha das utilidades domésticas, e verificar se não são perigosos e não causam nenhum tipo de risco às crianças. Confira algumas dicas por cômodo da casa:

Sala

Na sala, é importante prestar atenção aos enfeites, esses devem ser retirados do alcance das crianças e de preferência, devem ser retirados do loca, porque muitas vezes, as crianças querem pegar e acabam subindo e se machucando.

Outro ponto importante são os móveis, como estantes, mesas de centro ou atá mesmo a mesa de jantar. Verifique as quinas e se, for possível, prenda partes que podem se soltar.

Banheiro

O banheiro é um lugar perigoso para crianças e deve ficar, se possível fechado, quando não estiver em uso. Escolha acessórios para banheiro que deixe os produtos e utensílios de higiene fora do alcance das crianças.

Área de Serviço

A área de serviço é outro local da casa bem perigoso, porque além dos produtos de limpeza, é lá que ficam alguns eletrodomésticos como máquina de lavar, secar, ferro, entre outros. Por isso, coloque um portão (se não houver porta) para impedir a entrada das crianças. Para facilitar, você pode usar suportes para área de serviço e levantar produtos e outras coisas que as crianças não podem pegar.

Cozinha

Na cozinha, o cuidado maior é com o fogão, evite cozinhar com as crianças por perto. Se tem algum alimento que a criança não possa consumir, este também deve ficar fora do alcance.

Quarto

O quarto da criança deve ser o lugar mais seguro da casa, se ela costumar brincar ali também. Cuidado com fios, tomadas, abajoures ou móveis que ela possa se machucar.

Recomendações gerais

– Locais que tenham escada devem ficar com seus acessos protegidos, assim como os acessos que dão para a rua.

– Tomadas e quinas dos móveis sempre devem ficar protegidos.

– Produtos de higiene e limpeza devem ficar bem longe dos olhos e alcance das crianças.

– Mantenha os utensílios de cozinha longe delas.

– Verifique se os brinquedos delas não têm partes que podem se soltar e serem engolidas.

– Nunca deixe a criança sozinha.

dezembro 31, 2015 / por / em
Mãe concurseira: como escolher o concurso público ideal

Depois da maternidade muitas prioridades mudam, e umas dessas prioridades que mudam é o tempo que se dedica ao trabalho. Muitas mães deixam seus empregos formais em busca de mais autonomia e flexibilidade da rotina. Algumas procuram empreender, outras procuram um cargo público por ter mais estabilidade do que na iniciativa privada.

O serviço público também tem outros atrativos, como uma remuneração maior, auxílios e carga horária menor em alguns cargos e órgãos, o que facilita para que a mulher concilie melhor a rotina de mãe com a rotina profissional.

Mas na hora de escolher um, dentre as muitas opções de concursos públicos que oferecem essa carga horária reduzida, é importante olhar para outros fatores e não somente a carga horária, veja algumas dicas:

– Salário e benefícios: verifique o salário, os auxílios e bonificações dos cargos que deseja concorrer.

– Proximidade: faça uma análise da proximidade do local de trabalho com sua casa e/ou a escola das crianças, por exemplo.

– Satisfação: a satisfação com o seu trabalho é um fator muito importante. Não adianta, por exemplo, você ocupar um cargo em um banco, que só trabalha 6 horas, mas não gostar do ramo nem do ambiente. Se não conhecer o trabalho que irá exercer faça uma pesquise, procure alguém conhecido para trocar ideias.

– Concorrência: os cargos de meio período costumam ser os mais concorridos, por isso, faça uma avaliação do seu tempo de estudo e resultados nas últimas provas, antes de decidir qual concurso prestar.

– Converse com sua família: converse com sua família simulando a nova rotina quando ocupar o novo cargo, dessa forma ficará mais fácil visualizar como será no futuro e decidir o cargo pelo qual quer concorrer.

dezembro 31, 2015 / por / em
Conheça a cadeirinha que atende crianças de um a sete anos

Muitos pais têm dúvidas sobre qual é a cadeirinha de transporte mais indicada para cada idade das crianças e qual é o momento ideal da troca de um modelo para o outro. Pensando na praticidade dos pais na hora de escolher o equipamento ideal, a Tutti Baby, empresa catarinense especializada em produtos infantis, desenvolveu a poltrona Ninna. Ela acompanha o crescimento das crianças e pode ser usada do primeiro ao sétimo ano, através de adaptações na sua montagem.

A Ninna pode ser ajustada em oito posições, que facilita o ajuste conforme o crescimento da criança, que pode utilizar dos nove aos 36 quilos. A poltrona atende crianças dos grupos de massa de 1 a 3, ou seja, de um a sete anos.

cadeirinha de carro

Para garantir o conforto dos pequenos, a Ninna é revestida com tecido macio, possui almofada redutora e protetores acolchoados para os ombros. A estrutura de plástico de engenharia proporciona uma maior resistência e segurança ao produto. Estão disponíveis para o lançamento três cores: cinza, preta e vermelha. A poltrona foi desenvolvida conforme a norma NBR 14400 e é um produto certificado pelo Inor – órgão acreditado pelo Inmetro.

Nelson Zanotti, presidente da Tutti Baby, explica que a cadeira Ninna é o primeiro produto lançado depois de uma revisão no posicionamento e na revisão da identidade visual da marca. “Nosso novo lema é facilitar a vida dos pais. E a poltrona está seguindo esta linha: é um produto que vai acompanhar a criança durante boa parte da infância e pensamos em cada detalhe para garantir o conforto e a segurança dos pequenos”, diz.

A poltrona chega às lojas em maio.

Entenda quais são os grupos de massa
Grupo de massa I – de 9 kg até 18 kg, altura aproximada de 1m, até 2 anos e 8 meses de idade.
Grupo de massa II – de 15 kg a 25 kg, altura aproximada de 1,15 m, até 5 anos de idade.
Grupo de massa III – de 22 kg a 36 kg, altura aproximada de 1,30m, até 10 anos de idade.

Com a poltrona Ninna, as crianças do grupo de massa I utilizam o cinto da cadeira e a partir do grupo II, a criança utiliza o cinto do carro.

dezembro 31, 2015 / por / em,
Vem com a gente
Facebook Vem com a gente Vem com a gente