“Eu mãe: mulheres, empreendedoras”: De mãe para mãe

“Eu mãe: mulheres, empreendedoras”: De mãe para mãe

Rede Materna

 

Na série “Eu mãe: mulheres, empreendedoras”, a entrevistada desta semana é Priscila Leutwiler de Alm1-207eida França, de 37 anos. Ela é pedagoga e mãe de três meninos. Moradora de São Paulo, em 2013, ela começou – juntamente com a amiga Daniela, a Pekenitos.

A história do empreendimento começou de maneira simples. Elas eram apaixonadas pela costura e começaram a fazer arte para seus filhos. Com o passar do tempo e o nascimento das sobrinhas – Lara e Luiza – começaram a criar novas peças para o enxoval das meninas. A produção fez sucesso e os amigos começaram a fazer encomendas.

Com uma sobrinha que morava em Londres, elas conheceram os babadores em forma de bandana e se renderam ao charme das peças. Sem perder tempo, começaram a confeccioná-las e foi sucesso garantido.

Hoje, a Pekenitos faz babadores bandana, fraldas de boca, tapa fraldas e bermudas que compõe kits. Capas de amamentação, toalhas fralda, fraldinhas de ombro, babadores, cachecóis e outros também fazem parte dos produtos feitos com muito carinho de mãe para mãe.

Com três anos de experiência como mãe empreendedora, Priscila falou com o Rede Materna e dividiu um pouco de sua experiência. Confira abaixo.

 

Rede Materna: Por que decidiu começar com o seu negócio próprio? Teve relação com a maternidade?

Priscila: Deixamos nossos empregos para ficar mais perto de nossos filhos e descobrimos na paixão pela costura, uma oportunidade de conciliar a maternidade com o trabalho.044

Rede Materna: De onde surgiu a ideia de criar o Pekenitos? Qual é o foco do trabalho de vocês? Pode nos contar um pouco sobre a empresa?

Priscila: Começamos sem querer, costurando peças para o enxoval das sobrinhas que estavam para nascer. As peças fizeram sucesso e começaram a surgir as encomendas. Com minha sobrinha morando em Londres, conhecemos os babadores bandana ingleses em 2013 começamos a fazer por aqui e temos conquistado nosso espaço, pouco a pouco.

Rede Materna: Vocês apenas vendem ou também tem fabricação própria dos produtos?

Priscila: Fazemos tudo: criamos, cortamos, costuramos e vendemos. Aos poucos fomos nos reinventando e nos redescobrindo como empreendedoras.

Rede Materna: Para você, quais são os maiores desafios ao se tornar uma empreendedora? O retorno é como você imaginava ou as dificuldades são maiores?

Priscila: O desafio é grande, conciliar a maternidade e a dedicação necessária para levar adiante a Pekenitos, mas sim, vale a pena. É muito bom estar ao lado dos filhos, levar e buscar, acompanhar lição de casa e vê-los envolvidos na Pekenitos, ajudando e vibrando com cada nova conquista. Optamos por fazer tudo pouco a pouco, passo a passo, gradativamente, e assim o retorno é gradativo também, vem pouco a pouco.

Rede Materna: Você trabalha em casa? É mais difícil trabalhar perto das crianças?

Priscila: Trabalhamos em casa, o que torna o desfio ainda maior. Separar o momento de trabalho do momento das crianças e da casa, organizar as diferentes rotinas em um mesmo espaço requer atenção e disciplina, mas vale cada segundo.

Rede Materna: Para você, quais são as vantagens de se tornar uma mãe empreendedora?

Priscila: Estar sempre por perto dos filhos, mesmo quando estamos trabalhando não tem preço. E além disso, transformar uma paixão em trabalho é maravilhoso. Mesmo com as dificuldades que surgem, comDSCN0510 o desfio de conciliar tudo, vale a pena.

Rede Materna: Que conselho você daria para as mães que pretendem começar a empreender ou estão iniciando seus projetos próprios?

Priscila: Para as mães que pretendem se tornar empreendedoras: aproveitem para investir em seus filhos e em seus sonhos. Não é fácil, mas é compensador. Construir algo, estando perto dos filhos é algo extraordinário.

agosto 22, 2016/ por / em, ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vem com a gente
Facebook Vem com a gente Vem com a gente