Introdução alimentar: Frutas

Introdução alimentar: Frutas

            O bebê acaba de completar 6 meses, e agora? Agora você deve começar, aos poucos, a introdução de outros alimentos, mantendo o leite materno até os 2 anos de idade ou mais.

Quando chega a fase da introdução alimentar, a partir dos seis meses de idade (até quando deve durar a amamentação exclusiva), as frutas devem ser a primeira novidade na dieta do bebê.

Como o bebê está conhecendo os alimentos, a melhor forma de apresentar as frutas é in natura e, preferencialmente, uma de cada vez. A introdução gradual de diferentes alimentos possibilita que você identifique os sinais de uma possível reação alérgica, como a presença de diarreia, dores de barriga ou manifestações cutâneas.

De início, pode ser que ele não aprecie muito o gosto, mas vale a pena insistir para, aos poucos, ir educando o paladar da criança. Pode demorar até dez tentativas para ela aceitar a novidade, além disso, o bebê precisa de tempo para se acostumar aos novos gostos e à consistência dos alimentos.

É importante para o bebê conhecer o sabor de cada fruta, a textura, a consistência, saber que algumas são mais doces e outras mais azedas, que algumas soltam mais líquido, que algumas têm gominhos. Também deve-se evitar de bater as frutas no liquidificador para transformá-las em creme ou cozinhá-las, o bebê pode demorar mais a conhecer e aceitar a fruta de verdade.

Alguns bebês demoram mais que os outros para começar a aceitar a fruta in natura, e isso é normal, é preciso respeitar o tempo do seu bebê. Mas todos são capazes de comer desse jeito.

Caso o bebê demonstre não ter gostado da experiência, tente oferecer o mesmo alimento alguns dias depois. Pode ser que a reação seja a mesma, mas não desista, porque muitas vezes as crianças acabam se acostumando aos novos sabores.

A ingestão de fruta é parte integrante de um regime alimentar nutricionalmente equilibrado e saudável e deve ser sempre incentivado pelos pais e/ou responsáveis.

Ensine seu bebê a amar as frutas. É bom demais!

Fontes:

MINISTÉRIO DA SAÚDE (BRASIL). Guia Alimentar para crianças menores de dois anos. Disponível em: http://www.blog.saude.gov.br/34130-conheca-as-10-dicas-do-guia-alimentar-para-criancas-menores-de-2-anos.html. Acesso em 02 dezembro de 2016.

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA (BRASIL) Alimentação infantil: cartilha de orientação aos pais, 2007, 86 p.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA (Brasil) Manual de orientação para a alimentação do lactente, do pré-escolar, do escolar, do adolescente e na escola. Departamento de Nutrologia, 3ª. ed. Rio de Janeiro, RJ: SBP, 2012. 148 p.

VITOLO, M. R. Nutrição: da gestação ao envelhecimento. Rio de Janeiro: Ed. Rúbio, 2008.

Carolina Zampieri, mãe de uma pequena de 6 anos, nutricionista, realiza atendimento personalizado em home care e consultório, em Campo Grande/MS, aprimorada na elaboração de um plano nutricional que promova saúde, prevenindo doenças e, o mais importante, melhorando a qualidade de vida nas diversas fases da vida.

dezembro 10, 2016/ por / em,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vem com a gente
Facebook Vem com a gente Vem com a gente